quarta-feira, 28 de julho de 2010

devo tirar alguns brinquedos ou joguimhos ou alguma coisa que a criança gosta como castigo?

Abrir os armários da cozinha e jogar panelas e utensílios para o chão não é falta de educação para uma criança de dois anos, por exemplo - significa apenas que a criança quer conhecer melhor o que a rodeia. É também muito freqüente crianças de quatro anos "lutarem" com as irmãs ou os irmãos mais novos.

Conversar com outros pais de crianças da mesma idade é uma maneira de saber o que é normal para essa idade - muitos pais ficam freqüentemente aliviados quando sabem que as outras crianças se comportam duma maneira muito se

melhante à dos seus filhos.

Ensine através do exemplo:

Uma das maneiras das crianças aprenderem é imitando os outros. É por este motivo que os pais devem se comportar de maneira a dar bons exemplos. É importante que nós, como pais, mostremos respeito para com os nossos filhos - as crianças que sejam respeitadas aprenderão a respeitar os outros.

Embora as crianças necessitem de saber que são seres únicos, também precisam aprender que fazem parte de um grupo. É por isso que devemos ensiná-las a partilhar, a escutar os outros e a não serem egoístas.

Pense nas palavras que usa e como as usa:

Com as crianças use o mesmo tom de voz que gostaria que usassem para consigo. Converse com elas ou sobre elas com respeito, em vez de dizer "A Ana comporta-se sempre tão mal", ou "O João é sempre tão preguiçoso". É realmente muito tentador criticar as crianças, na esperança de que a crítica constante do mau comportamento fará com que as crianças parem de se comportar dessa maneira. Mas freqüentemente este tipo de procedimento tem o efeito oposto.

As crianças aprendem depressa que atraem a atenção dos pais fazendo coisas que eles não gostam. A melhor maneira de incentivar bom comportamento é lembrar-se de elogiar as crianças tão freqüentemente quanto possível, mesmo em situações de menor importância, como por exemplo, "A Ana ajudou muito hoje - arrumou todos os seus brinquedos". Isto não significa que não devemos repreender as crianças quando se comportam mal. Mas é importante criticar o comportamento da criança, e não a criança como pessoa. Em vez de dizer "Você é muito mal comportada", diga, por exemplo, "Não gosto da maneira como se comporta" ou "Não permitimos esse tipo de comportamento".

Imponha limites:

Deixe que as crianças aprendam o tipo de comportamento aceitável e o que é inaceitável. Estabelecendo limites bem definidos para as crianças, elas terão motivos para que se sintam mais seguras. Seja consistente sobre o que é e não é aceitável.

Aceite o direito de a criança dizer não:

Às vezes, principalmente sobre aquilo que afeta apenas a criança - como, por exemplo, as roupas que quer usar. Não se esqueça que as crianças precisam aprender que dizer "não" é por vezes a maneira certa de proceder. Dizer "não" a estranhos, por exemplo, é talvez a maneira mais segura de procederem.

Elogie e abrace as crianças quando colaboram: Procedendo assim estará a incentivá-las ao bom comportamento

Não espere mais das crianças do que aquilo que são capazes:

Embora se espere que uma criança de cinco anos se sentasse quieta na sala de espera do consultório médico, não se pode esperar o mesmo de uma criança de dois anos. Seja tolerante e não se esqueça da idade da criança.

Evite agredir a criança fisicamente:

Bater numa criança apenas a ensina que a violência é a melhor maneira de controlar, e incentiva-a a bater nas outras crianças.


1 comentários:

- Anine Pinheiro - disse...

obg pela visita!
adorei o post. Já guardei pra qdo Guilherminho chegar nessa fase. Deus nos ajude a educar!

Postar um comentário